9.9.09

para onde vou porque vou como vou e se vou ou não vou











sei o que quero como quero quando quero e para que quero.
não há interrogações possíveis exclamações supostamente prováveis nem tecicências duvidosas. há os pontos finais. ponto final. ando na fase do ponto final.
sei quem sou o que sou como sou para onde vou porque vou e como vou.
aprendi a dizer não.tardiamente mas aprendi. o sim era muito raro. jogava mais com o talvez. dou por mim a pensar nisto. no fundo há uma ponta de revolta por ser quem sou e não querer ser assim. mas eu sou assim. combato-me muito. mas nessa guerra que tenho comigo nenhuma de mim sai ganhadora. mantenho-me estável. quase equilibrada.
sempre me assustou a mudança. o talvez era razoável. o não extremamente seguro. e o sim não fazia parte do meu vocabulário.
mas apetece-me dizer o que me apetece dizer. hoje não sei. amanhã logo se verá. deixa ver como me sinto. depois logo se vê se me apetece. dia após dia pratico-me cada vez mais ao sabor dos apetites. dos meus claro. se calhar é por isso que me dizem que ás vezes consigo ser bem desagradável. como desagradável? se só digo o que me apetece.
sei que magoo os outros. é uma defesa minha. faço-o para não me magoar a mim. faço mal. porque assim fico magoada por magoá-los. mas que mágoa!
ando na fase do ponto final.
há ponto final.
ponto final.






09.09.07











mantenho_me estável quase desequilibrada.






















fotografias de fritz faber

8 comentários:

observatory disse...

é assim

vai dizendo nao e eu por cá continuo:))))

o NÃO é o sim de muita coisa

o SIM SIM SIM

é quase sempre NADA

ou quase nada :)))

bjº

bono_poetry disse...

Nao me vou instalar na tua sala e nas tuas cenas,mas tipo tu conheces alguem assim ou es mt assim?e que faz de certa forma lembrar alguem!!desagradavel como?

nils disse...

Também eu já estive estável no desequilibrio. E hoje estou equilibrado... mas instável no âmago. É o viver em função da normalidade suposta. A imposta pelos outros.

mfc disse...

Não e sim são peremptórios.
A vida tem outras cambiantes e podemos sempre afirmar-nos sem magoarmos os outros e sem nos negarmos.
Mas o texto é lindo. É um bonito ensaio sobre a vontade.

Moon_T disse...

deixo-te então 3 pontos finais:
". . ."

uminuto disse...

Desequilibro-me nos estranhos equilíbrios que crio para mim. Por essa razão o teu texto fez-me olhar ao espelho e descobrir-me nas tuas palavras

Anónimo disse...

um admirável jeito humano , ser como somos !

abraço porque sim !

________ JRMARTO

Luis Eme disse...

dizer não é sempre mais dificil, se formos personagens positivas, Ivone...