11.4.09

a morte não me assusta. o que me assusta é continuar viva.










_ não era eu . era outra. andava como que deslumbrada. entendes?
_ não. não entendo.














deslumbramento ofuscação momentânea causada pela muita luz fascinação
fascinação encantamento quebranto feitiço
















_ não era eu. era outra. andava como que deslumbrada. entendes?


não. não entendo. como entender uma coisa que não se entende? e é para entender um entendimento não possível?






assim me entras sem aviso prévio e tomas conta do que não deves. e assim como entras retiras_te. sem avisar. como entender isto? no inesperado desta caricata situação não me sei resolver. afundo_me no mais baixo dos actos. na cobardia de calar_me. a insistência de continuar viva oprime_me. fala mais alto. nunca virei costas. apenas fechei os olhos. e é nesta cegueira que me encontro de vez em quando contigo. sem o querer. encho então o copo e acendo mais um cigarro. que fazer além disto que tanto me dá prazer. pintar? não te quero sequer ver. o deslumbramento é excesso de nós. coisa que nunca houve claro. daí continuar a fascinação. entendes?






a morte não me assusta. o que me assusta é continuar viva.










fotografias de alexandra pasca

16 comentários:

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

Sarava!

E eu que continuo assustadamente viva...


:) Boa páscoa!

Deixo-te uma nova vizinha para conheceres

http://tudomenoslight.blogspot.com/

beijinhos mil

diana disse...

A mim assusta a morte e assusta a vida. Acho que assusta a morte porque ainda não superei o medo de estar viva.

vaandando disse...

viver é um alto risco , altíssimo, e no entanto...
abraço vivo !
________ JRMARTO

Luis Eme disse...

entendo mas não percebo...

bjs Isaura

Pequena Poetiza disse...

nem sei se pensei do que quizestes falar
mas gosto desse tom de poesia que leva a gente pra lugares que nem mesmo o poeta imaginou que fossemos
enfim...

pensei na morte e vida de sentimentos
e que ás vezes a morte de um sentimento não nos assusta... até esperamos e desejamos por ela
o que nos assusta é ainda ter vida de alguns sentimentos em nós
aqueles que ansiamos tanto por sua morte

beijos

Luis Eme disse...

desculpa ter-te trocado de nome... tu que não tens nada cara de Isaura, Ivone...

Paulo - Intemporal disse...

:)))))))))))))))))))))))))

é sempre um prazer en.tardecer aqui.

gosto muito do Seu espaço, Ivone.

sublime e bel.íssimo se me permite.

íssimo beijo meu.

Freyja disse...

Cara Ivone,


O que seria de nós, eternos amantes do belo, se não piscassemos os olhos de vez enquando?

"que fazer além disto que tanto me dá prazer."...pois...o prazer...necessidade imperativa, já dizia Freud!

A compleição para estar viva arrasta-nos aos poucos para o abismo do fascínio?! Ou ao contrário? E vice-versa?

Se for presunção minha, desculpa-me, mas então e...que morte mais morte pode haver que a morte em vida?!
Ah, pois claro, o "Inferno" da esperança...

Entendes?!

Um beijo divino,


[Continuar viva, a vida. Mas... o que é a continuação da vida, mesmo?]

clanDestino. disse...

Teus textos me inquietam!

D.

ivone disse...

tu lias?
ainda assustadamente entro viva por aqui. até quando?

diana
princezinha. a mim tudo me assusta. como a ti. mas há fases em que meto o medo debaixo do tapete. não esta em que estou com muita pena minha. acreditas que até levantei a carpete? mas não aguentei com o peso.

vaandando
e no entanto vivemos não é? que fazer?
aquele abraço (vivo claro)


luís eme
isaura ivone idalina isilda tanto faz...


pequena poetiza
um poeta é um fingidor não é? já pessoa o dizia.


paulo
íssimo íssimo íssimo íssimo
esse beijo


freyja
já te disse que a tua escrita é uma delícia não disse? pois então fico_me deliciando.

clandestino
também a mim!

Carla disse...

entendo sim...como entendo!
beijos

Liliana disse...

e quantas vezes eu fecho os olhos, e a cegueira desaparece, e pensando estar curada os abro, para a cegueira voltar. e qantas vezes me calo. calo-me a mim e como se não bastasse, calo-o a ele. e finjo. deslumbramento? fascinação? não, não entendo. sinto. cá dentro, nas entranhas. e queima.




um beijo*

bARAUJO disse...

ola... q saudades de vir aki repousar por uns breves momentos... no sempre teu estilo inquieto das palavras cheias de significado! as imagens sempre bem escolhidas. os textos de um ou outro autor q enche a alma!

mtas mmo as saudades... sim, sei q tenho andado desaparecido, mas tenho andado numa roda viva.
temos de por a conversa em dia.

beijo [E] terno. like allways. why not. nothing else matters. whatever & 4ever

observatory disse...

e da?

funciona?

Paulo - Intemporal disse...

Maio, o primeiro dia, o dia um, um dia, este.

Celebra-SE aquele que tem algo a fazer, ou que há tanto faz [...]

Maio também de Maria, de re.conciliação.

Maio de colher, a semente.

íssimo _______________________________ .

Paulo - Intemporal disse...

F
e
l
i
z

d_____i_____a

d
a

M__________Ã__________E

hoje e sempre.

íssimo.