25.9.07

adeus sem adeus

preciso aprender a lidar com a morte.
com quem parte e me deixa assim triste. e mais só ainda.
impressionante como ainda não consegui deitar uma lágrima só que que fosse. antigamente lançava-me em choro. hoje já aprendi a lidar com a dor.
mas eu sei que vou quebrar. tenho de quebrar. preciso de quebrar.
a sensação de perda é vazia. oca. e enche-me de luto.
faz-me lembrar um poço sem fundo. e eu procuro bem lá no fundo o que não quero perder. mas como encontrar uma perda sem fundo?
não admito perdê-lo. recuso-me a perder.
na sexta à noite recebi o telefonema. "tens de ir ver o pedro. já não fala. se queres vê-lo com vida tens sábado e domingo. o tempo encurta para ele."
mas eu não quero ver o pedro assim. quero ver o pedro como quando o conheci. tinha eu catorze anos e ele dezassete. o pedro era tão bonito que me sufocava. vi-o pela primeira vez no alentejo. na aldeia onde nos cruzávamos em tempo de férias. costumávamos dar longos passeios à noite pela estrada. naquelas noites quentes de agosto que parecem constar no calendário porque tem de se cumprir o amor. sentávamo-nos nuns bancos de pedra à beira da estrada e ficávamos a conversar. ainda guardo comigo o cheiro do perfume que ele usava. o arrepio que me dava sempre que a mão dele envolvia a minha cintura. e o sabor que tinha a boca do pedro. nunca mais encontrei um sabor assim.
na estrada houve uma vez um abraço que só me vai largar quando eu morrer também. o tempo parou com ele. não havia mais nada além de nós os dois. e era eterno. fizemos juras de amor para sempre. e eu cumpri. costumo ser fiel ao que prometo. transportei-o comigo durante estes anos todos. porque todos estes anos nunca deixei de o amar. por isso não me quis despedir. detesto despedidas. jurei a mim mesma nunca lhe dizer adeus.
e continuo a cumprir.

9 comentários:

Edson Marques disse...

Estava tudo maravilhosamente bem.
O blog MUDE é o mais visitado do weblogger:
Quase 300.000 acessos; cerca de 400 visitas por dia.
Ou seja, tudo perfeito para continuar assim.
Acontece que é preciso mudar...
Aliás, eu proponho que toda relação deve acabar no Pico.
Então resolvi levar meus corações para uma nova geografia.
Mudei.

Na verdade, um breve salto profundo.

E agora estou escrevendo no www.mude.blogspot.com

Quando puder, venha dançar no arco-íris da casa nova.

Abraços, flores, estrelas..
.

Victor disse...

Querida Ivone

Este teu texto está muito bem escrito. Texto de conteúdo sofrido, mas sente-se, conteúdo vivido. Um texto que nos faz surgir um nó na garganta.

Um grande amor é assim... mas a verdade é que a existência é feita de viveres e de morreres. E a maior prova de amor é aquela em que nós próprios podemos sentir liberdade. Amar é muito mais do que possuir e ser possuído.

O grande amor de e pelo "Pedro" atinge o seu maior significado quando, perante um desenlace, continuamos a ter capacidade de amar.

Beijinhos.

alexandrecastro disse...

um texto escrito com muita "alma". pena estarmos tão longe. tinha tanto para lhe dizer (e claro você a mim), mas mesmo assim quero-lhe transmitir um grito de força. beijinho muito grande
alexandre
ps.escreverei com mais calma, coisa q de momento não tenho.

ivone disse...

edson
o seu blogue continua sempre em alta.
mude sempre!

amigo victor
acredita que são palavras sentidas e doridas.

alexandre
tanto mas tanto que continua por dizer...a si.

des-encantos disse...

'preciso aprender a lidar com a morte.'
tb penso que sim, principalmente nestas alturas...
'Mais faites atention'...e põe o pé no chão, que pisas.
Repensa Einstein ' a vida é aquilo ' que está prá nossa frente....
E tb disse q para serem completamente felizes, os homens devem ter também a possibilidade de desenvolver as suas capacidades intelectuais e artísticas em harmonia com o seu caracter e talento...
Passa a esponja...

maria josé quintela disse...

não há sono eterno. só um descuido temporário da consciência.
cumprirás.

ivone disse...

des-encantos
já passei a esponja.
tudo tem solução na vida. só a morte não.
assim sendo só ao final de trinta e dois anos e apesar de a ter transportado sempre comigo só agora a passei nas lágrimas e finalmente consegui apaga-lo de dentro de mim.
porque tinha de ser...

ivone disse...

maria josé
ainda não me descuidei temporáriamente da consciência...mas apetecia-me tanto um sono eterno!

EternamenteLu disse...

Yvone....o meu abraço amigo...voltarei para te falar(tambem eu)...de tudo que nos falas aqui...um beijo

Lu