23.9.07


de pintar
de pinta de ponto
inteiro
finito
com azul me visto
de amarelo me dispo
de branco
nu
cru
conquisto sem visto
e despisto
com pinta
com cinza de sombra
em fumo esvoaço
abraço
desfaço
e de preto entrelaço
com ponto
de encontro
sem hora marcada
nem mesa reservada
com a ausência do nada
falhada
sem linha
nem formato
calculado
qual estilhaço púrpura
esquecido
escondido
atrofiado
trespasso-me
em passo descabido
sentido
e magoado
renasço
inteira na paleta
e finito.

5 comentários:

alexandrecastro disse...

saio daqui sempre a pensar no que tão bem escreve e tão bem consegue "ilustrar"! invariavelmente as pasagens por aqui remetem-me para longas "introspecções"...!beijinho e parabéns

maria josé quintela disse...

com todos os matizes.
com pinta ou sem pinta.
sem fôlego!

ivone disse...

alexandre
as suas passagens por aqui ilustram melhor ainda as minhas letras
bj

ivone disse...

maria josé
são só nuances...

cm disse...

cores cavalgando silabas renascendo entre suspiros