1.3.08

sem moldura





sem moldura




































"não te olho quando afirmas pela mágoa a cor negra da alma pois o desalento come a cor a quem se fecha sobre o olhar adormecido na palma da mão...pela moldura não se descobre a pintura"



sem saber quem escreveu o texto sei que sou eu nele
é assim que me sinto agora
um desalento imenso
amanhã vou_me vestir de água

12 comentários:

Luís Galego disse...

a mim apetece-me vestir de fogo....belo texto!!!

~pi disse...

e escorrer

até ao

teu mar


.

.

.

un dress disse...

... o silêncio da queda

infinito...





beiJO

S. disse...

Da mesma forma que não gostas de portas, eu não gosto de molduras...imagens enclausuradas e o desalento disfarçado aos olhos de quem as vê...

ivone disse...

luís

vestir
de água
fogo
terra
ar

e despir_me de poema




~pi
e ir até ao fundo do mar
e não voltar




un dress
ou a queda em silêncio
sem fim





s.
nem portas nem molduras
detesto as duas

Amaral disse...

Neste labirinto da existência fisica, é frequente encontrares esse desalento, nas muitas voltas que a vida dá...
Nem sempre o olhar permanece adormecido, porque até mesmo a água tem o seu movimento e é energia da Pura Energia.
A moldura aprisiona a imagem; nunca aprisiona a beleza que ela SEMPRE tem, sejam quais forem os olhos que a contemplem!...

TINTA PERMANENTE disse...

Mas depois, noutro amanhã, o vestir será com tiras douradas de sol sobre a fresca primavera. Vai ser assim, vai!


abraços!

TINTA PERMANENTE disse...

É só para dizer, outra vez:
Vai ser assim, vai!

abraços!

ivone disse...

amaral


olha para mim
nos olhos
agora

olha para mim
sereno
olhar

anda ver aqui
nos olhos
o mar

olha para mim
com o teu
olhar

de pedro ayres de magalhães

ivone disse...

tinta


vai ser assim vai

oxalá


e se não for
que faço?

tufa tau disse...

só amanhã te trajarás transparente de água
quando os olhos se fecham rasgam as palavras da boca
os lábios também cerrados prostam-se em mágoa
pois tão cega e muda em breve ficas louca

Maria José disse...

Enebriante...