20.1.10

falta











acto ou efeito de faltar privação falha imperfeição culpa pecado leviandade erro






























cumpro_me inteira no dever e sem medo de me não desviar mas cumprindo_me obrigo_me de certo modo a algumas falhas falhas essas que me apetecem falhar porque não falhando não me sinto obrigada a andar em rebanho tipo ovelha negra ou ranhosa tanto se me faz como lhe queiram chamar. assistindo_me assim na obrigatoriedade de me ter que justificar achei_me no dever de ter como motivo o assunto pessoal sendo este sempre uma boa desculpa para que nada se saiba ou parecendo que se sabe nunca se chega a saber nada ou fica_se sempre na mesma ou seja na dúvida se se sabe.confesso que estou um bocado farta um bocado é favor estou mesmo muito muito farta o que equivale a dizer que neste preciso momento me sinto uma perfeita super farta. e de tanta fartura solta_se_me de vez em quando assim como quem não quer nada uma valente tampa arrebenta_se_me a bolha e vai tudo pelo ar. ele é cadeira ela é trapos pratos ou sapatos. tudo o que me vem à mão é bem vindo e é para atirar. mas não pensarás tu "ela até é calma". e é neste cenário em casa onde nada é nada só ar que me solto por cá sem saber o que se passa. por isso estou farta mais que farta muito mais que farta super farta. falta_me justificar o injustificável de se ser farta. e é nesta fartura tão vasta que me consigo equilibrar. o facto de tu não estares quase ou quase nada já me afasta mais. ser outra basta. por isso me apetece atirar tudo ao ar. cadeira trapos pratos ou sapatos. ser outra já basta. sou mesmo boa no que faço a pintar ou a atirar coisas ao ar. querem cor? hoje não há.















injustificável que não se pode justificar

querem cor? hoje não há.











fotografias de zefram antonio gabriele e katia chausheva

7 comentários:

mfc disse...

Cumprindo-nos, podemos falhar mas prosseguimos a caminhada de um homo erectus que um dia povoou a terra.
Gritemos.

nils disse...

É sempre diversa, sempre outra, esta escrita que muito deixa adivinhar e nada faz saber... ou quase. Por vezes pergunto-me, quem é esta Ivone e como consegue viver esta vida, esta paixão, com tanta fome e fúria?

Luis Eme disse...

então és uma "atiradora" "transparente", Ivone...

Vieira Calado disse...

Tudo bem modernaço!

Sinais dos tempos...

Bjs

oldmirror disse...

Para que queremos a cor se o preto e o fumo nos assenta tão bem...

ivone disse...

é. o preto e o fumo assentam_nos muito bem. bem demais.

Anónimo disse...

muito fumo!

é só fumaça...