4.1.10

há muita luxúria na miséria mais extrema
e isto é mesmo só para não chocar





















vi_me comoprimida
num ajuntagente
ora eu só suporto pessoas à distância
de preferência com uma mesa de permeio
acontece que uma mulher foi projectada
para cima de mim com um cigarro aceso
há pessoas que vão para ajuntagentes
fumar cigarros!
ora eu temo as queimaduras
muito por sua vez caí por cima de uma mulher
que era um sex symbol depois
de sofrer uma homotetia de razão
superior a I
há pessoas que vão para ajuntagentes
com dez alcinhas
de cada lado
e o soutien alças em duplicado
se caio para baixo passam_me por cima
a única saída é sair por cima
disse de mim para mim
as pessoas do ajuntagente
reparei eu então
eram feitas aos degraus
comecei a subir pela que
estava mais perto
era uma mulher
dei por isso quando começou
a menos que fosse
um contratenor
mas alguém teve a mesma ideia
que eu
e começou a subir por mim acima
ora eu era intocável
agora já nem consigo
dizer nada de mim para mim
o de mim para mim acabou
não há lugar para mim
num quadro de rubens











um quadro de rubens de adília lopes


































ruben era gordo porque comia demasiado. e eu não gosto de gente gorda daquela que come à farta. por isso não gosto de ruben. só gosto de gente magra. daquela que deixa tudo no prato nem sequer toca nos talheres muito menos no guardanapo. apenas se sujam em trapos. a boca é gasta não em comida mas no amar. daquela que pega no copo e se esvazia se exorciza em gastos. restos de madrugadas mal dormidas manhãs perdidas em abraços. daquela gente que não mente com todos os dentes à boca cheia revirando o rebordo da taça. o vidro é um pretexto para se falar revirando_se a língua no deixar passar a palavra vezes sem conta tantas vezes que se perde a noção do dizer do estar do esfrangalhar. o paladar esse apura_se. da cabeça ao calcanhares.a intenção não é chocar.nem achincalhar.só saborear. é de tradição sem o ser sentar_me à mesa sem nada comer apenas lamber o ar. serve_me de alimento em dia e durante a madrugada. por isso sou magra. por isso gosto de mim. ruben era gordo porque gostava de comer. por isso não gosto de ruben. porque era farto. à brava. coitado! nunca soube o que era jejuar. o jejuar de pão queijo ou folhado ou mar. há que mastigar o ar. cortar a carne. engolir o vomitado. há que gostar de amar. e ruben continuou sempre muito gordo porque comia muito e não jejuava. ruben não sabia a mar. e eu só gosto de gente magra.












e isto é mesmo só para não chocar






fotografias de marco barsanti e kevin convery

12 comentários:

mfc disse...

Textos não magros, mas escorreitos.
Suficientemente elegantes, irónicos e acutilantes.
Retive a frase linda... "a boca é gasta no amar"!

oldmirror disse...

Ruben nem sequer era digno de tantas frases, porém apenas um punhado muito cheio delas explicaria o quão gordo era ele.

JL disse...

Não chocaste, agradaste.

Cumprimentos.

Vieira Calado disse...

O seu blog é diferente

e muito atraente!

Bjs

Anónimo disse...

Adorei e amei.

Luis Eme disse...

quase uma lição de amor...

boa Ivone.

. intemporal . disse...

.

. a assertividade como permeio de uma paixão em existência .

. sublime .

.

ivone disse...

mfc
é. a boca é gasta no amar. porque sim. porque gosto. e porque não?

oldmirror
diz_me. também não gostas de gente gorda certo?

jl
agradei. agrado_me. aguardo_te.


vieira calado
e porque de atraente entenda_se que se trata de gente magra. a gorda será apenas interessante. ou nem por isso.

anónimo ni
e que adoraste e amaste? o facto do ruben ser gordo ou eu ser magra?

luís eme
tudo por aqui se trata de quase uma lição de amor. se assim não fosse era desinteressante obviamente.

intemporal
sem paixão não se é. e eu não gosto de ser amorfa.

sexwm disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Luis Eme disse...

adoras o "bate e foge", Ivone...

(obrigada pela dica da hidroginástica...esta minha carola)

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

Sarava!

Cheguei!!!

Como sempre elegante nos posts. E desafiante.

Gosto.

beijossss

nils disse...

Jejuar de mar, Ivone, quando se anda tão mareado da vida...