28.2.10

ele _ olhe eu vou embora porque você é impossível!
ela _ é que só sei ser impossível não sei mais nada. que é que eu faço para conseguir ser possível?











ele _ pois é.
ela _ pois é o quê?
eu só disse pois é!
mas "pois é" o quê?
melhor mudar de conversa porque tu não me entendes.
entender o quê?
vamos mudar de assunto e já!
falar então de quê?
por exemplo de você.
eu?!
porquê esse espanto? tu não és gente? gente fala de gente.
desculpe mas não acho que sou muito gente.
mas todo o mundo é gente!
é que não me habituei.
não se habituou com quê?
não sei explicar.
e então?
então o quê?
olhe eu vou_me embora porque tu és impossível.
é que só sei ser impossível não sei mais nada. que é que eu faço para conseguir ser possível?
pára de falar porque tu só dizes asneiras! diz o que é do teu agrado.
acho que não sei dizer.
não sabe o quê?
hein?
olha até estou suspirando de agonia. vamos não falar em nada está bem?
sim está bem como tu quiseres.
é você não tem solução.
é?
pois se eu estou dizendo! você não acredita?
acredito sim acredito acredito .





a hora da estrela de clarice lispector pág. 56 e 57











ela_ é que só sei ser impossível não sei mais nada. que é que eu faço para conseguir ser possível?



é possível que por cada palavra dita me veja livre de um pouco de ti. tu não vês que não estou aí? daqui a pouco não sei o que dizer. e é possível que volto a ser_me impossível.







fotografia de beata bieniak

12 comentários:

Luis Eme disse...

pois...

é possível,

até o que parece impossível.

pois...

(deve ser por isso que a terra é redonda, Ivone...)

ivone disse...

luís
e acreditas mesmo que essa terra é mesmo redonda? mesmo que pareça possível?
pois é.

Moon_T disse...

impossivel?

nao dizem haver silencios que valem mil palavras?

ivone disse...

moon t
isso são as imagens
os silêncios valem por silêncios não precisam valer_se das palavras

ou sim?!

oldmirror disse...

De olhos fechados, respirou bem fundo, fumou um cigarro desalmadamente, bebeu um trago generoso de Jameson, enquanto escutou o gelo lutar com o vidro do copo baixo e largo, soltou o fumo que ainda conservava na alma e acompanhou todo o ritual com a pastilha de menta já de pouco sabor.
Abriu os olhos.
Agora já lhe parece possível.

ivone disse...

oldmirror

acredito sim acredito acredito e acredito

pin gente disse...

gosto da possibilidade das coisas impossíveis!

um beijo
luísa

oldmirror disse...

Disparei. Matei-te? Para onde dirijo os primeiros socorros?

Helga disse...

Impossíveis somos todos quando não queremos falar de nós.

Adorei o blog e a forma como expões os textos. Vou voltar.

Beijinhos :)

ivone disse...

oldmirror
há várias hipóteses de socorro mas obviamente que ñ tas irei dizer terás de ser tu a descobrir. se te desse a bússola ou o mapa tu rasgavas deitavas fogo ou partias. ficamos assim. é melhor para a rota.

"só mais um para a viagem"?

observatory disse...

viajar

António disse...

tudo é possível enquanto o sonho existe!
Quando o sonho acaba?!
Temos de procurar outros sonhos.

Obrigado pela tua visita.

Beijo
António