18.5.10









as aparências enganam
aos que odeiam e aos que amam
porque o amor e o ódio se irmanam
na fogueira das paixões
os corações pegam fogo
e depois não há nada que os apague
se a combustão os persegue
as labaredas e as brasas são o alimento
o veneno e o pão
o vinho seco
a recordação
as aparências enganam
aos que odeiam e aos que amam
porque o amor e o ódio se irmanam
na geleira das paixões
os corações viram gelo
e depois não há nada que os degele
se a neve cobrindo a pele
vai esfriando por dentro o ser
não há mais tempo de se aquecer
não há mais tempo de se esquentar
não há mais nada pra se fazer
senão chorar sob o cobertor
as aparências enganam
aos que gelam e aos que inflamam
porque o fogo e o gelo se irmanam
no outono das paixões
os corações cortam lenha
e depois se preparam para outro inverno
mas o verão que os unira
ainda vive e transpira
ali nos corpos junto à lareira
na reticente primavera
no insistente perfume
de alguma coisa chamada
amor




versão de elis regina
pq cada um tem a sua
eu também faço questão de ter a minha














aceitam_se propostas para futuro compromisso sério de homem e ou mulher já vale tudo por mim já tanto faz derivado do facto de não se conseguir nada mas exigindo por enquanto e ainda alguém supostamente verdadeiro e efectivamente bem feito sendo ou não bem educado quero lá saber mas boa gente gente de bem é claro bem ou mal parecido tanto me faz a rondar mais ou menos os noventa e tal anos para cima quero lá saber do que conste no bê i e que desde sempre tenha dito que mantenha actualmente um problema cardíaco isso sim não importa ainda ser pobre ou rico mas que tenha ainda espírito ou que prove isso e ser ainda proprietário de um belo iate sublime pois claro e que me envie em resposta a isto uma fotografia do dito cujo barco.




as respostas ou a resposta ou sem resposta a este anunciar ou lá o que lhe queiram chamar escrito hoje e agora dia dezoito de maio terça feira por volta das três e meia da madrugada de corpo dorido e peito desfazido de tanto chorar por causa da valente sova de insónias que tenho em cima.
fotos de christopher voelker

6 comentários:

oldmirror disse...

Desistir da solidão. Deixar esse lugar, um pouco mais vazio...mais só.

Luis Eme disse...

não sei o que te dizer, Ivone.

e que tal passares pela farmácia e pedires qualquer coisa para isso que te faz dares voltas e voltas na cama?

pelo caminho podes perguntar a algum velho catita que te surja à frente, se por acaso tem um iate giro...

ivone disse...

oldimrror
eu ñ quero desistir da solidão. como posso fazer isso se é a minha companhia?

luis eme
xanax e afins ñ obrigada eu e as insónias temos uma relação muito próxima apesar de vez em qd entrarmos em conflito mas é saudável confesso

ps: tens barco ou nem por isso?

Luís disse...

nem por isso, Ivone.

o meu filho anda a chatear-me para comprar um de borracha...

ivone disse...

pois luís o meu é mais do género : ó mãe compra um cão sff

ps: vem no sábado partilhar o meu espaço e vai chamar_se rui reininho

nils disse...

Alguém de bem, com ou sem iate, é bem difícil de encontrar. É fazeres-te ao mar sozinha.