20.5.10










este terror de ser
sermos nós
nunca






















terror de te amar num sítio tão frágil como o mundo
mal de te amar neste lugar de imperfeição
onde tudo nos quebra e emudece
onde tudo nos mente e nos separa



sophia de mello breyner








onde tudo não nos pertencerá nunca onde tudo não seremos nós nunca nós porque nós nunca poderemos ser como os outros querem que sejamos enfim sós

4 comentários:

Luis Eme disse...

pois não...

e fala-se tanto de Liberdade por ai...

nils disse...

Muito violentas as imagens e as palavras da Sophia sempre belas e as tuas tão certas... como passar sem ficar por aqui, um pouco.

Moon_T disse...

nada há de mais precioso que o eu
dito por quem o perdeu
e o voltou a encontrar

oldmirror disse...

Nada me pertence desde o dia em que deixei de me possuir a mim mesmo.