25.11.07

de tão só


eu

canso
tanto
de tão só

A maior solidão é a do ser que não ama. A maior solidão é a dor do ser que se ausenta, que se defende, que se fecha, que se recusa a participar da vida humana.A maior solidão é a do homem encerrado em si mesmo, no absoluto de si mesmo,o que não dá a quem pede o que ele pode dar de amor, de amizade, de socorro.O maior solitário é o que tem medo de amar, o que tem medo de ferir e ferir-se,o ser casto da mulher, do amigo, do povo, do mundo. Esse queima como uma lâmpada triste, cujo reflexo entristece também tudo em torno. Ele é a angústia do mundo que o reflete. Ele é o que se recusa às verdadeiras fontes de emoção, as que são o patrimônio de todos, e, encerrado em seu duro privilégio, semeia pedras do alto de sua fria e desolada torre.
Vinicius de Moraes

20 comentários:

Victor disse...

Querida Ivone
Vinicius foi um sábio da vida... eu diria que ainda o é, pois a sua mensagem não tem tempo nem lugar. Já deixei claro noutro comentário o meu apreço por Vinicius, potenciado no momento em que o conheci e que com ele conversei.

São sentidas também as tuas palavras iniciais sobre a solidão, mas gostava de acrescentar um modesto pensar: tal como o frio acho que a solidão é um estado de espírito; não são inevitabilidades; devemos abrir os braços ao mundo, respirar fundo, deixar que o sol nos aqueça e ilumine... e vivamos intensamente!
Beijinhos.

notinha à tua resposta em post anterior - embora comentando pouco, sou leitor assíduo e diário dos teus bonitos textos.

Anónimo disse...

assim é, quando o medo é maior do que o medo da solidão!!!
carla

eTerNamenTeLu disse...

A solidão pode não ser má, pelo contrário, pode ser muitíssimo saudavel e reparador. pode ser apreciada como o único momento que nos foi agendado pela natureza para nos encontrar com o nosso interior. Aquele momento entre todos os outros segundos da nossa vida... aquele momento isolado do tempo, aquele que é só nosso e que se preza com toda a tranquilidade e serenidade do nosso ser. e sabes o que é ainda melhor? O melhor é quando se pode disfrutar desse momento de solidão ...longe de tudo e de todos durante alguns minutos.
No entanto minha querida Yvone tu não estás só, tens-nos a nós,tens-me a mim,tens os teus amigos e a tua familia...a solidão pode ser um recomeçar para a vida. Conta comigo nessa caminhada,caso queiras e precises.
Úm abraço do tamanho do mundo

Lu

Um Momento disse...

Hum...
Li e reli ...
Na tua citação de Vinicius , fazes-me interiorizar imensos sentimentos, imensas razões de ser e estar...
Na vida alturas há em que a solidão é bem vinda... mas só por momentos, pois estar só,jamais foi saudavel...a não ser naqueles momentos em que dela( solidão) realmente precisamos...

Num abraço passo a te Mimar, com carinho e Amizade com os "Mimos" que te entrego em mão com um beijo terno
Noite serena te desejo na Paz dos Anjos
(*)

Betty Branco Martins disse...

Querida Ivone


________excelente escolha



Vinicius "de tão só"________era um



TODO_______...





beijO c/carinhO

Luís Galego disse...

convocar Vinicius e nestes termos revela um estado de alma...um certo estado de alma. Força, Ivone!!!

zé lérias disse...

Eu penso que Vinícius de Moraes não aceita a solidão.
Denuncia-a por indesejada.
Está em cada um de nós escolher o caminho que dela se afasta.
"O maior solitário é o que tem medo de amar, o que tem medo de ferir e ferir-se,o ser casto da mulher, do amigo, do povo, do mundo."
Um abraço e parabens pelo seu blogue.

http://www.afontenova.blogspot.com

ivone disse...

amigo victor

mas se eu estendo os braços ao mundo e mesmo assim não consigo evitar o frio cá de dentro?

tem dias que esse abraço é fechado outros mais aberto e por vezes cerrado com força ou apenas um abraço fechado. mas abraço. e continuo com o frio inesperado correndo-me no coração e serrando-me a alma. que fazer? se continuo permanecendo abraçada...

às vezes apetecia-me só cruzar os braços...mas nesta teima respiro fundo e continuo a abraçar.

este texto de vinícius não não trata de solidão mas sim de um hino ao amor.

como dizia chico buarque
aquele abraço!

ivone disse...

carla
quem tem medo da solidão não se sente amado. o estar só é por si só já um acto de amor. nessa entrega que nos resta ao acto solitário de se saber que se ama sem ser amado. é acima de tudo um acto de coragem. e um apelo.


lu
eternamente só. apeteceu-me dizer-te a verdade. preto no branco com todas as linhas.

à semelhança de mim e pelos teus escritos serás também uma das que na sua forma de estar o acto solitário corresponde a uma vivência não dolorosa. de tal maneira o é que já faz parte de nós. por isso o achamos tão natural e por vezes bem vindo . é nessa altura que nos debruçamos sobre o que nos vai na alma. e a surpresa não faz parte dessa leitura. porque tudo continua igual e nada de novo há para acrescentar. dessa inércia nasce a nossa solidão. não pela falta de amigos ou conhecidos ou de outros. por falta de um acto de amar só. tão simples quanto isso.daí esta chamada de atenção. um texto tão profundo sobre a solidão que mais não é do que um hino ao amor.

fica bem e guarda em ti as minhas palavras. sentidas. escritas.para ti.

ivone disse...

um momento
"a maior solidão é a do ser que não ama"

então a minha é bem pequena.à solidão corresponde também um acto de paz. é nesse sossego que se encontra a calmaria.e com ela a capacidade de estar só que é diferente de se sentir só.

guardei os teus mimos a sete chaves.vá-se lá saber quem pode entrar por aqui e querer roubá-los.

ivone disse...

betty
este texto de vinícius faz parte de mim mesma há muito tempo. quando o li pela primeira vez identifiquei-o como um poema só.ao longo do tempo cada vez que o relia descobria mensagens novas. e continuo ainda hoje. depende do estado de espírito que atravesso. e como sou como as marés a minha onda vai e vem. basta haver lua. ou não.

ivone disse...

luís
e que alma.e que estado. nem imagina o desassossego que aqui ia.

e quando isso me acontece basta convocar vinícius.

resta_me acima de tudo essa imensa capacidade.








magritte.
não só vinícius a denuncia. todos nós o fazemos. uns mais assíduamente que outros. por necessidade. por apelo. por revolta. por sem motivo aparece. só por a denunciarmos só.
e o maior solitário de facto é aquele que tem medo de se ferir e de ferir sim.

fique bem

Fuser disse...

profundo e belo Vinícius.
és uma mulher de bom gosto.


abraços


Fuser

paper-life disse...

Ele só esqueceu quem se fechou por ter dado, amado, sido amigo e queimado as asas como uma borboleta numa lâmpada por amar "demais".

Mas ele era Poeta, dado a esquecimentos, como é natural. :)

myself disse...

Ivone, no 1 vez por semana já lá se encontra a tua resposta ao desafio, o teu retrato do Chade e de Póvoa.

Sobre o teu post a solidão entranhou-se logo nas tuas palavras e foi aumentando até ao final das palavras de Vinicius. Um Post em grande!

ivone disse...

fuser
de gosto bom sim sou.

paper-life
e "ser poeta é ser mais alto" já o dizia espanca.

myself
já fui espreitar o arco do elefante. interessante.
o menir conheço bem demais.
vou deixar em branco aguardando manifestações dos outros. bjs e bom fim de semana

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

E como dizia o poeta: Saravá!


òptima citação e boa escolha musical...beijos

Stellinha disse...

Olá Ivone!
Nossos caminhos de cruzaram atravéz da Betty Martins, que também surgiu em minha vida como que por encanto...Sou fã dela...e ao visitar sua bella morada também me encantei...Que beleza sua página. Sensibilidade que toca fundo na alma.
Quanto a esse seu post...LINDO!
AMO Vinícius um homem que soube atravéz das letras e nos FALAR DA DOR, AMOR, E PRINCIPALMENTE AMIZADE. Esse legado tão fantástico me dá muito orgulho...A solidão pode ser vista ou sentida de todas as maneiras. Tem uma bela frase de schopenhauer que gosto muito...
"O homem só pode ser ele próprio quando está sozinho;
Se não gosta de solidão, não gosta de liberdade.
PARABÉNS!!!
Abraços

observatory disse...

preciso de muita gente para falar da minha solidão voluntaria

muita.


depois...

volto para a minha casca

ivone disse...

observatory

também eu...

eu também.