14.11.07

era inevitável. mas sustentável.


foto de helena almeida
transporto-me ao sabor das horas dos minutos dos segundos que se avizinham e que cada vez passam mais urgentes.
deixo-me levar na espuma da corrente como se dela fizesse parte faz muito tempo. não sei se fico. se me deixo levar. se é inevitável ir. se devo permanecer. ou na insustentável inércia deva deixar desinquietar-me pelas marés que me convidam.
a cada dia que passa o meu caderno escasseia. as folhas teimam em passar. urgentemente. plena dos sentires que lanço nelas. mas falta-me linha. ausentam-se os traços. o abecedário concreto que quero revelar teima em não se manifestar.
das letras construo imagens. e crio odores invísiveis. tinto-me das letras. mas falta-me a cor. a cor de amor. se tivesse de dar uma cor ao amor pintava-o de azul. não há fórmula em cábula possivel. peguei nela e fechei-a numa gaveta qualquer. deitei fora a chave. contramaré remei e fui ao fundo. bem fundo. ao fundo do mar. onde o silêncio se aproxima mais da quietude do céu. respirei bem fundo. faltou-me o ar.
queria ter levado comigo algumas notas soltas. liszt seria o ideal. roubei-lhe algumas teclas. guardei-as bem guardadas numa outra gaveta qualquer. esta sem chave. perdi-me por lá. e o piano mudo. e o silêncio surdo. por cá.
um dia vivi em azul. anotei-o num papel. e soltei-me em tintas. construí aí uma paleta única. plena. não foi um azul qualquer. foi o azul de mim. nasceu assim. ao sabor das horas dos minutos dos segundos sem urgência. foi então que decidi não usar mais qualquer gaveta. soltei-o ao sabor da terra. atirei-o à corrente do vento. e lancei-o à água.
desinquietei-me. era inevitável.
mas sustentável.

4 comentários:

myself disse...

Obrigado pela visita.
Gostei de conhecer esta casa e estas palavras. As linhas e as entrelinhas e com Liszt poderíamos ficar aqui a ver umas mãos percorrer as teclas e dominando o nosso sentir.

Volte sempre. Eu vou voltar.

Amaral disse...

Cor de azul, cor do amor, cor do teu tempo...
Inevitável a tua inquietação...
"No fundo do mar, onde o silêncio se aproxima mais da quietude do céu"...
Com todas as tuas imagens se imagina um estado de ser...

Betty Branco Martins disse...

Olá Ivone


____________obrigada pela visita









volta sempre_____________:)





gostei muito do teu "espaço"

e













talhas




as palavras





como





_________________eu gosto



beijO

BFsemana

ivone disse...

myself
voltemos então.


amaral
as tuas palavras deixam-me sempre única.


betty
lê__________________________me
nas linhas sem_______________

pre.