16.8.08

e as janelas dos infernos nas palmas das mãos








até parece que tenho as portas do céu debaixo das plantas dos meus pés
























Eu tenho uma espécie de dever, de dever de sonhar
de sonhar sempre,
pois sendo mais do que
uma expectadora de mim mesma.
Eu tenho que ter o melhor espectáculo que posso.
E assim me construo a ouro e sedas,
em salas supostas,
invento palco, cenário para viver o meu sonho entre
luzes brandas
e músicas invisíveis.











do livro do desassossego
de fernando pessoa











































e quando deixar de sonhar posso morrer em paz. assim tranquilamente só no meu leito de princesa. encantada com o mundo que não corri nem com os países que não conheci nem com aquele que não veio ter comigo e desencantada com a vida e com o que ela me poderia oferecer.


serei enfim tranquila neste desassossego que me atropela e a quem de braços abertos recebo e me entrego.


bem vindo esse dia em que enfim a morte me abraça. me safa destes dias. me leva com ela como se eu fosse a sua mais recente namorada. enfim acompanhada. enfim sossegada.


até parece que tenho as portas do céu debaixo das plantas dos pés.





















e as janelas dos infernos nas palmas das mãos



















escrito com a imitação da vida
de maria bethânia



fotos de graig parker

15 comentários:

Rocket disse...

infernos, no plural.
quantos faltam? deve ser "a pergunta" que todos a nós fazemos...

bjos

bossa_velha disse...

gostei. sobre o livro do desasossego: é lindo.

maria josé quintela disse...

belíssima a imitação da vida de maria bethânia.


e a de fernando pessoa.



e a tua. aqui. com as portas do céu debaixo dos pés e as janelas do inferno na palma das mãos.


um beijo ivone.

~pi disse...

e as janelas do céu

o passsaporte das

nuvens?!

[ - parece mais uma questão à

alberto caeiro,

esta...:)

instantes e momentos disse...

muito bom teu blog, foi muito bom vir aqui. Parabens,
Maurizio

Graça Pires disse...

Belíssimo o texto de Pessoa. "A imitação da vida" de Maria Betânia é um excelente CD.
Um beijo.

Su disse...

gostei..gostei....das escolhas

jocas maradas .....sempre

diana disse...

Fantástico. Estas escolhas conseguem dizer tanto sobre a vida, sobre os sonhos, sobre mim mesma.

Victor Oliveira Mateus disse...

excelente composição: gostei dessa ideia de haver um dever de sonhar
(um imperativo mesmo!) que só
a morte acaba por aquietar, como
me pareceu ver na, também excelente, segunda parte da composição. Tudo muito conseguido,
passe a redundância!

ivone disse...

rocket
quantos faltam não sei não faço a mínima ideia só sei os que já me passaram por entre as mãos


bossa_velha
o livro do desassossego é mesmo um desassossego



maria josé quintela
imitação de fernando pessoa do meu céu e inferno tudo completo num só quase que se torna espectáculo para mim. não será?


~pi
concordo plenamente contigo sem sombra de dúvida que bem poderia ser uma questão à alberto caeiro sim senhora


instantes e momentos
volte sempre maurizio tem sempre uma palavra nova por aqui


graça pires
imitação da vida de bethânea faz parte das minhas memórias e será sempre um dos meus cds de eleição


su
porque por aqui as escolhas não se fazem ao acaso


diana
de ti e de mim. as escolhas.


victor
se não houvesse esse dever nem teria o direito de sonhar não acha?

Dois Rios disse...

céu nos pés

inferno nas mãos

desassossego,

pessoa

bethânia

ivone

poesia em

luzes brandas.

maravihoso!

beijo,
inês

Baraújo disse...

aconchego as tuas mãos.. na concha das minhas...
banho os teus pés em seda...

num gesto. com um sorriso... para que encontres o teu caminho entre os tantos caminhos que nos elevam para o mundo dos sonhos...

belas palavras as tuas... com uma excelente entrada do grande Pessoa...

beijo terno...

boas férias...

hfm disse...

Um post cénico e tocante!

ivone disse...

inês

com o meu mundo
imaginário ou não é só meu
e partilho contigo. porque sim.
beijo


baraújo
sonhar não é fácil e nem todos o conseguem fazer. com ou sem sonho foi assim cono que passeando por entre as nuvens...
e as férias já foram. quero mais.
bj


hfm
sim cénico e porque não?
um palco de palavras que se entreligam a imagens. sem som. porque o silêncio esse também é bom de se ouvir.

Maria José disse...

E quando deixei de sonhar... encontrei o sonho na palma da mão.