7.1.08

de estátua


de estátua

estática
de tacto
de facto
nua
fria
de pedra
em pé
afago
e dispo
te laço
enleio
enlace
despido
branca
em cinza
perpétua
eterna
e viva
vista
lista
mística
divina
te quebro
e parto
enfim
em ti


que será de mim?

8 comentários:

Alma Nova disse...

De ti será...apenas o que tu quiseres. A vida está na tua mão.

Anónimo disse...

uma foto fabulosa que completa palavras bem moldadas, mas onde se sente a "fria dor" da pedra!
Carla

zé lérias disse...

Muitas palmas e um abraço.

Amaral disse...

Estátua tal como é e se vê e se contempla e se afaga e se despe de sentimentos... mas que origina emoções...

ivone disse...

alma
de mim eu sei...e não sei.

carla
ou palavras que completam uma fabulosa foto onde se sente a minha fria dor.


aquele abraço

amaral
e se emociona...

S. disse...

Gosto de estátuas...a imagem da frieza associada à cristalização da memória...quente.

Memory disse...

Excelente poema este.
Creio que a vida é como um navio: comandamos nós, apesar de por vezes não sabermos que rumo tomar....

Um abraço

ivone disse...

s.
o frio da pedra com o quente do poema que a veste

memory
e porque não de vez em quando sem rumo?
à deriva...por vezes apetecia_me