21.8.07

acto de contenção

" tens o coração fechado..." disseram-me. ao qual respondi de imediato: " a sete chaves!"

como posso ter dito isto se é uma pura mentira!? e eu não costumo ser mentirosa só omito a verdade.

devia ter respondido:" para si claro que sim." sempre.

mas tenho-o aberto para todo o resto do mundo para quem me quer bem e até para alguns que não me querem de todo.

fala-se de amor e fico assim. sem jeito. idiota. triste. sendo este um acto de alegria de felicidade faço dele um acto de contenção. confesso-me que a imensa solidão que me vai na alma é suficiente para preencher todas as horas...as que em silêncio me calo as que serena e impávida me choro as que me contenho me iro. as horas...

sentei-me em frente ao mar como que num acto de submissão. confesso-me. queria ter chorado. não o consegui.

salgada por salgada já tenho a água da maré. para quê querer a das lágrimas?

salva de sal continuei sentada à beira do mar. sentei e chorei. como Pilar.

9 comentários:

C_britto disse...

Ivone,

Com relação a tua pergunta ao blog do( Álvaro Poesia) pelo que sei o acesso só permitido para convidados.
Mas pode continuar visitando o meu, terei imenso prazer e satisfação em recebê-la!

-Com relação a tua postagem.
Não acho que você deva ter o coração fechado é tão aberto quanto o meu.
E deve ser lindo também :-)))

Belíssimo teu texto!!!

Te quero mais pertinho de mim, por isso irei te link.

(um super carinho espalhando-se aí...)


(a)braço querida

Victor disse...

Querida Ivone
O acto de escrever e de partilhar os escritos já é em si sinal de coração aberto, disponível para bater mais forte a cada novo estímulo. Sentar frente ao mar é ter encontrado a melhor de todas as companhias, a cimplicidade necessária a avançarmos sempre.
Dadas estas minhas singelas opiniões resta-me acrescentar o encanto da forma e do conteúdo deste texto que aqui partilhas nesta "roda" de amigos.
Beijinhos.

Repórter disse...

Esse coração defende-se, através da sua "proprietária", de algo que o atormentou e o fechou.
Mas nada é definitivo.
Ivone, está na hora de o abrires. Ou de permitir que seja aberto.
Quando se fala de amor e tu sentes do que estão a falar, quer dizer que o teu coração está, só, à espera de uma ordem tua para se abrir.
Por que esperas?

Um beijo

lila disse...

No meio "daquelas caixas"que tive de organizar...encontrei sabes o quê?é isso o teu coração ...estava todo encolhidinho com medo de ser encontrado,peguei nele devagarinho...e podes crer sorriu para mim !!! e então transbordou de amor...bjs

ivone disse...

c_britto
volte sempre

amigo victor
não imagina o quanto me preenche poder partilhar com vocês
bj

srº repórter
sempre muito observador e com o sexto sentido a funcionar em pleno.
o senhor torna-se perigoso.
até jazz


lila
toquei-te no coração também!
bj

pentelho real disse...

É lindo...

Lia Bettencourt disse...

gostei muito desta tua sinceridade ao escrever.

abraços

ivone disse...

real

o é lindo antes de o ser doeu muito...
só quem experimenta passar por essa dor de chorar consegue transformá-la depois num acto de amor...
foi o que fiz quando escrevi estas letras de um acto de contenção.
bj

ivone disse...

lia

a ideia que sempre tive de um bom escritor ou mesmo de um bom actor é a daquele que quando escreve ou representa tem de ter vivivo ou sentido profundamente ...depois e subjacente ao acto de sinceridade vem o acto da verdade das palavras escritas ou ditas.

bj