22.8.07

qual menina destemida

hoje enchi-me de coragem e fui jantar fora sózinha. sim porque isto de ir sózinha jantar fora tem muito que se lhe diga. é necessário encher-me de coragem. e se tivesse à espera de companhia para o fazer raramente iria. se assim fosse de certeza que estava mais magrinha.

por outro lado marimbei-me para os quilos a mais que trouxe comigo das férias. só três. os suficientes para ter que andar a usar túnicas para esconder a barriguinha. e também porque as calças me estão justíssimas.

das duas uma ou começo urgentemente a cortar nas sobremesas ou compro roupa nova com números acima. prefiro cortar nos doces. sempre me sai bem mais barato.

despachei-me muito rápido a vestir porque ainda queria das umas voltinhas antes de jantar. só tive que trocar de calças porque as primeiras que experimentei e que ficaram em casa sem direito a férias ficavam-me justíssimas na cintura. quase que não conseguia respirar. até parecia que me faltava o ar. e eu não gosto de me sentir apertada.

lá fui eu qual menina destemida. sim menina porque com a idade que tenho que contam já com algumas boas primaveras continuo a ser uma menina. mais madura sim. mais bem sofrida também. mas acima de tudo bem mais feliz. por isso me continuo a sentir ainda como uma menina. a mesma que no outro dia entrou numa loja e durante todo o tempo foi tratada por menina pela empregada da boutique. escusado será dizer que aqui a menina se fartou de experimentar peças de roupa só para estar a ouvir o a menina fica-lhe muito bem essa calça ou esse vestido acenta-lhe que nem uma luva.

assim e derivado ao meu bom estado de conservação voltei hoje a entrar em todas as boutiques do centro comercial onde fui jantar. ninguém me tratou por menina mas ganhei uma camisola branca linda e nova. já a pensar no outono que se avizinha.já noto diferença nos dias. bem mais pequenos. o sol desaparece mais cedo e eu refugio-me logo em casa. como detesto eu o inverno. e logo fui nascer no dia em que ele nasce também.noites longas.imensas.frias.escuras.

não é que eu tenha medo do escuro. nada disso. mas fico triste com o aproximar da noite. e depois tem aquela hora mágica do dia que eu gosto muito. o crepúsculo. como eu gosto dessa hora. quase que fico encantada.

quando era mais nova e passava o verão no alentejo era nessa hora que eu ia passear para os campos. só para estar mais perto do céu. porque de um lado era ainda de dia. e eu sentia-me bem por isso. e por outro lado a noite ainda não tinha chegado. e eu continuava a sentir-me bem.

foi durante o crepúsculo que saí do centro. apeteceu-me agarrar o mundo porque me sentia feliz. lembrei-me de quase todos os que me querem bem. e apesar de estar sózinha não me senti só. e apesar de o dia estar a terminar e a noite a chegar senti-me tão bem.

qual menina destemida no alentejo.

7 comentários:

Repórter disse...

Ivone, menina

Que bem que ilustras os teus sentimentos, os teus pensamentos.
Engordas e emagreces num ápice, de acordo com a tua vontade.
Distribuis amizades na justa medida de quem o merece.

Pois menina. Quero que saibas que ao saires do Centro Comercial estarias be acompanhada pelas tais pessoas que te querem bem. Apesar, menina, de te encontrares sozinha.

Não te preocupes com o tamanho das roupas. Se me permites uma opinião, deves ir pelo corte nos doces. Poupas e emagreces.
E regressas à oportunidade de apertar as calças, e usar as túnicas só porque te apetece.

Guarda um beijo.
Assina: o perigoso Repórter.

ivone disse...

srº repórter

aqui só entre nós os dois que ninguém nos lê eu acho que o senhor se anda a fazer a outra caixa de bombons!

com tanto comentário positivo a meu favor acho que te vou mesmo oferecer uma caixa de bombons ou quem sabe um jantar com direito a sobremesa.

depois é ver aqui a menina elegantérrima qual tia da linha com um perigoso repórter de túnica.

bj e até jazz

lila disse...

Não li nada do que escreveram antes,verdade mas,que ideia essa de cortar nas sobremesas !!!!se é por causa das roupas candidato-me já como herdeira...quem vai abdicar de uma boa mousse de chocolate ou de um arroz doce cremoso? cortar nas sobremesas nunca...bjs

ivone disse...

lila

gorda!
bj

Victor disse...

Querida Ivone
Sou um grande apreciador de textos simples na escrita, fáceis na leitura e de excelente conteúdo de sentires profundos.

Este é sem dúvida um desses textos.

Quanto ao conteúdo em si mesmo deixa-nos antever um optimismo que embora controlado tem a segurança de quem pretende seguir na senda da procura continuada da felicidade e do bem estar.

Parabéns por tudo isto, minha querida Amiga.

Lis disse...

:-) Crescendo.

ivone disse...

lis

...e aprendendo.