8.5.08

ainda não

ainda não






não

















ainda













eu deixarei que morra em mim
o desejo de amar os teus olhos que são doces
porque nada te poderei dar senão a mágoa de me veres eternamente exausto
no entanto a tua presença é qualquer coisa como a luz e a vida
e eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto
e em minha voz a tua voz
não te quero ter
porque em meu ser tudo estaria terminado
quero só que surjas em mim como a fé nos desesperados
para que eu possa levar uma gota de orvalho nesta terra amaldiçoada
que ficou sobre a minha carne como nódoa do passado
eu deixarei...tu irás e encostarás a tua face em outra face
teus dedos enlaçarão outros dedos
mas tu não saberás que quem te colheu fui eu
porque eu fui o grande íntimo da noite
porque eu encostei a minha face na face da noite
e ouvi a tua fala amorosa
porque meus dedos enlaçaram os dedos da névoa suspensos no espaço
e eu trouxe até mim a misteriosa essência do teu abandono desordenado
eu ficarei só como os veleiros nos pontos silenciosos
mas eu te possuirei como ninguém porque poderei partir
e todas as lamentações do mar do vento do céu das aves das estrelas
serão a tua voz presente a tua voz ausente a tua voz serenizada



ausência de vinicíus de moraes




















não quero morrer sem saber que comigo vives

ainda não

quero ficar_me quieta entrelaçando gestos







a maior solidão é ter que te dizer não





















ainda



.











6 comentários:

Carla disse...

...e eu que queria saber dizer não
...e eu que queria não conhecer esta solidão
beijos

Baraújo disse...

boa escolha de vinicius...

por vezes, também é preciso saber dizer que não! é um facto, por mais que custe!

beijo terno

PS. hoje nao me kero repetir pela enésima vez... com tudo o q transborda deste teu post... e de todos...

~pi disse...

belo

dizer

excesso.

dizer tarde.




~

ivone disse...

carla
eu sei dizer não
e não custa nada
há que aprender por vezes faz falta



baraújo
este texto como muitos outros de vinícius é lindíssimo




~pi
sempre em verdade
claro

S. disse...

Dizer não é provocar os desencontros...por isso temo dizer não porque temo a solidão.

ivone disse...

s.
ao contrário de mim.
não tenho medo em dizer não. porque não temo a solidão. por vezes é a minha melhor companhia. outras vezes não.