17.5.08

pudesse eu comer chocolates

tu que consolas









































pudesse eu comer chocolates com a mesma verdade com que comes!

mas eu penso e ao tirar o papel de prata que é de folha de estanho
deito tudo para o chão como tenho deitado a vida


mas ao menos fica da amargura do que nunca serei
a caligrafia rápida destes versos
pórtico partido para o impossível
mas ao menos consagro a mim mesmo um desprezo sem lágrimas
nobre ao menos no gesto largo com que atiro
a roupa suja que sou em rol para o decurso das coisas
e fico em casa sem camisa




tu que consolas que não existes e por isso consolas














da tabacaria de fernando pessoa




















































erras quando pensas que não penso



em ti









erras quando dizes



que só não digo



desdigo



mentira






erras quando julgas que te julgo



nunca






erras quando em erro me conduzes



a errar



em tudo









erra!



mas não erres muito






comigo









nunca
.

4 comentários:

Maria José disse...

Chocolate.


Pecado(s)?

Paixão?

mateo disse...

Eu sei que erro...
Mas que faz um vagabundo se não errar pelo amargor do cacau no chocolate?
Beijo.

Baraújo disse...

bem... ora aqui está uma coisa.. que em determinadas fases preciso mesmo de consolar.. preciso quando necessito do meu lado criativo, para o que faço. e quando a cabeça se começa a cansar... CHOCOLATE.

mas. para alem disso tudo, é um devaneio mais que devaneio, desvendar num corpo e em gestos.. as fragrancias do chocolate, em que pensamentos transbordam...

nas palavras que despotam...

os tons que emancipas neste teu post...
tons de chocolate!

em vez da tabacaria de fernando pessoa, deveria ser a chocolateria... ...

beijo terno

ivone disse...

maria josé
só chocolate por favor.
agora chama_lhe o que te apetecer.



mateo
pecar pelo amargo...isso. doce.


baraújo
mas de que chocolate falas tu???