8.6.08

é preciso

é preciso o amor
de repente
de graça








é




















e é preciso correr é preciso ligar é preciso sorrir
é preciso suor
é preciso ser livre é preciso ser fácil

é preciso o amor de repente de graça
é preciso a relva de bichos ignotos
e o lago é preciso digam que é preciso

é preciso uma vista para ver sem perfume
e outra menos vista para olhar em silêncio
é preciso o logro a infância depressa
o peso de um homem é demais aqui

e é preciso gente para a debandada
é preciso o raio a cabeça o trovão
a rua a memória a panóplia das árvores
é preciso a chuva para correres ainda
é preciso ainda que caias de borco
na cama no choro no rogo na treva
é precisa a treva para ficar um verme
roendo cidades de trapo sem pernas




mário cesariny
discurso sobre a reabilitação do real quotidiano manual de prestidigitação

































não preciso de gente suada cheirando a nada



não preciso de monólogos inúteis
devassos desconcertantes e atormentados




não preciso de gente me olhando com desconfiança e maldade
do tipo abutres rodando a espera do ir





não preciso de ar nem de água nem de pão nem de nada









não preciso





só preciso de mim

















fotos sabine l

6 comentários:

Baraújo disse...

"não preciso de monólogos inúteis"

quantos.. e quantos... se apoderam dos ouvidos incrédulos mmo q nao keiram ouvir... entupidos dakele som ensurdecedor que nos entope o pensamento hipnotizando-nos adormecendo-nos...

adorei... simplesmente... adorei...

beijo terno!

NAELA disse...

Ivone n�o preciso sentimentos que dispersam a alma, mas preciso de mim, para enriquecer a vida com versos que brilham no Universo!
Excelente texto!!
Preciso de um Beijo doce

Dois Rios disse...

não preciso da pena de quem me esquece e nem do resto que me oferece.

preciso da completude do amor... isso sim, me basta.

beijos,

S. disse...

...e do amor, não precisas?

e eu preciso de respirar nas tuas palavras :)

Andreia Ferreira disse...

eu decididamente preciso de amor, de repente, de graça! *

ivone disse...

baraújo
nem monólogos inúteis
nem diálogos vazios
não
não preciso



naela
não seja por isso
beijo doce


dois rios
basta!
sim
se basta



s.
e que não precisa?
respira...



andreia
"é urgente o amor"