26.7.08

não me digas que não

será assim amar











aí onde nunca és para mim





































carlos amava dora que amava lia que amava léa que amava paulo que amava juca que amava dora que amava carlos que amava dora que amava rita que amava dito que amava rita que amava dito que amava rita que amava carlos amava dora que amava pedro que amava tanto que amava a filha que amava carlos que amava dora que amava toda a quadrilha









in flor da idade
de chico buarque



























sempre que te despedes parece que o nada mora por aqui. fechas_me assim a porta deixando_me sempre do lado de fora. sacudo os pés no tapede da entrada como que querendo ver_me livre de ti e escorrego sempre cada vez que o faço. limpo_me do teu cheiro que teima morar comigo fazendo_me de companhia que não há. atrás da porta sinto_te ainda como quem espera que eu não chegue mas que antes parta. consegues assim muito mais fácilmente ver_te livre de mim daquela que insiste sempre e sempre em continuar a ir. a partida é vagarosa como que se esperasse ainda pelo resto que teima em permanecer contigo. porque eu saí mas continuo lá onde tu estás. aí onde nunca és para mim. onde em algum lugar um qualquer sítio te vais sem sequer querer perguntar se quero ir ou ficar.


mais uma vez saio sem ser contigo ao lado. do outro lado desamparo_me sem mapa para me guiar. descobri assim uma nova forma de te amar. indiferente mastigo essa palavra. odiar é sem à. pecado leva à? será assim amar









não me digas que não





















escrito em câmaralenta
com rui reininho ao lado
fotos de macaeva olga
e adam kaczmarek

29 comentários:

Arion disse...

Desde que descobri o teu blogue que passo sempre e leio e observo, mas nada digo apenas porque gosto de pensar enquanto vejo as fotos leio os versos devoro as linhas e não quero estragar o conjunto com palavras obsoletas. Minhas. Obrigado!!!

Santhiago Ramirez disse...

Lindo o seu blog. Combinação de palavras e fotografias, bom gosto incrível.
Beijos carinhosos

Dois Rios disse...

Uma viagem fascinante por imagens e palavras.
Beijos,

Lord of Erewhon disse...

Belos texto.
O pedaço do Chico é uma paráfrase de Manuel Bandeira.

P. S. Trocaste: é Olga Macaeva.

Moon_T disse...

não...

Pedro Branco disse...

Inquietantemente perfeito, Ivone (Mesmo com o Rui Reininho ao lado...). É sempre um prazer muito grande passar por aqui. E voltar a ler e a ver e a reler e a rever... Eu sou assim.

Luís Galego disse...

são perturbantes estes textos, são belas as imagens, inquietante o blog...quem és tu, feiticeira?

ivone disse...

moon_t
...porque sim!

diana disse...

simplesmente fantástico. e pouco mais há para dizer.

Su disse...

hoje andei por aqui..........

perdi.me nas palavras.....

amei aqui estar.....
e fico......

jocas maradas...sempre

sagher disse...

excelente blog. excelente texto

Dois Rios disse...

Obrigada pela visita. Gosto de te ver navegando lá pelos meus rios.

Beijo grande,

oldmirror disse...

"Fico admirado quando alguém, por acaso e quase sempre sem motivo, me diz que não sabe o que é o amor. Eu sei exactamente o que é o amor. O amor é saber que existe uma parte de nós que deixou de nos pertencer. O amor é saber que vamos perdoar tudo a essa parte de nós que não é nossa. O amor é sermos fracos. O amor é ter medo e querer morrer."

- José Luís Peixoto

Ácido Cloridrix HCL disse...

Olá, tudo bem??? Desculpe a usurpação do espaço, mas gostaria de te convidar a participar no nosso pequeno inquérito,,,, talvez te interesse,,, Estarás de acordo com o casamento ou adopção entre homossexuais??? Agradecemos a tua opinião, se a quiseres dar em: http://sexohumorprazer.blogspot.com/2008/07/inqurito-de-opinio-casamento-entre.html . Agradecimentos antecipados, HCL

ivone disse...

oldmirror

eu tenho motivo por isso sei o que é o amor e procuro incansávelmente que essa parte de mim me deixe de pertencer

para me perder
e tenho medo muito medo

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

(a assobiar)

;)


é o que eu digo...andamos completamente extaseadas com a sensualidade...com paixão a saltar pelos poros mais escondidos...

(a cantarolar Chico)


e a apreciar esta bela composição!

beijinhossss

S. disse...

Ausência na partida, peito aberto no caminho para que o regresso possa trazer a companhia...senão a desejada, a possível...

E só quando quiseres pousar
Da paixão que te roer
è um amor que vês nascer
Sem prazo, idade de acabar...

[eu com o Reininho ao lado, tb escrevia umas coisas jeitosas ;)]

ivone disse...

tu lias?

já percebi essa indirecta do teu assobio
pois bem minha querida além do chico resta_te ainda o reininho ou esqueceste esse homem que nem sei apelidar de nome tão próprio que é?

é que com ele não me limito a assobiar mas sim a dirigir toda a orquestra...ele é piano ele é violino ele é trombete ele é flauta ...entendeu? ou precisa de croqui?

Pelos caminhos da vida. disse...

Primeira visita.

Tanto o blog...

Textos...

Imagens...

Excelentes.


beijooo.

Chris disse...

Grandes fotos, cheias de textura com um belo texto como ornamento...

Adorei (:*

Sunshine disse...

Vim agradecer e retribuir a tua visita.
Gostei muito do teu espaço: música, fotos, textos...
Há alturas para esperar, há alturas para partir.
Beijinhos com raios de Sol

Golfinho disse...

xiuuuu.....Silênciooo, escutem as letras.

Carla disse...

as tuas palavras inundam-me de um cheiro que eu desconheço, mas que nasce de mim!
beijos

O Profeta disse...

Fabulosas imagens...fantástico texto...


Doce beijo

Baraújo disse...

com rui reininho ao lado... fiquei a pensar... interessante.. mesmo... e ele leu.te?

se nao leu devia. pq ficaria apaixonado pelo q escreves... como eu fico... um vicio por completo... e qd os dias passam e nao venho... tenho q saltar pelos posts q passaram... para me deslumbrar uma e sempre mais vezes...

beijo terno

ivone disse...

baraújo

ele não me leu. ainda. mas vai ler. sim.

reininho de tão interessante que é até cansa. se estivesse comigo ao lado iria concerteza dizer_me:

"Tanto mar tanto deserto
Mau passado futuro incerto
Não me digas que não

Tanto falar em surdina
Contigo e só triste sina
Só não me digas que não

Vou partir vou voltar
reconquistar o prazer
não me digas adeus

Vou viver outra vez
Renascer vou gritar
Nunca digas adeus "


ps: adito ao silêncio de paixão? cuidado...por aqui as palavras chegam a doer de mais. sentidas e sofridas doridas vivem em comunhão comigo.

Baraújo disse...

nao deixo. nao permito. porque elas se transformam no que sinto flor de uma sombra tao penosa que me acomoda num nicho terbulento...

nao as deixo sofridas para ti
nao as deixo doridas...
sempre sentidas... com o que poderá haver de belo

beijo terno

ps.finalmente vi o filme "into the wild" nao digo as palavras que me vieram. pq essas vieram embrulhadas em sal. q nos olhos secaram. e alma afogaram... de tantas coisas em q me revi e tantas outras q nao tive coragem!

another sweet kiss

ivone disse...

baraújo

Sean Penn como realizador se for como o é como actor é a forma máxima de expressão na 7ª arte: soberbo! um dos meus actores preferidos.ando para ver esse filme e ainda adiei. interessante ao ponto da história original que é e de saber que foi baseado num cado verídico.

bárbara sousa disse...

simplesmente adorei descobrir o seu blog.
faz nos perceber que a poesia não é feita das palavras de espetamos como pregos num papel virgem mas dos espaços das entrelinhas daquilo que ficou por dizer...o silêncio


http://omundodomeusonho.blogspot.com/