4.12.08

não. hoje não me digas porque só me ocorre responder_te tristeza

_ diz...












diz...







_ digo?
_ não digas
_ mas posso dizer?
_ não. hoje não me digas porque só me ocorre responder_te tristeza
_ diz..

















"pergunto_lhe se é costume estar_te triste como nós estamos. diz que há_de passar com a noite assim que ela chegar. digo_lhe que não é só por ter sido durante o dia que estou numa tristeza que já esperava e que só vem de mim. que sempre fui triste. que vejo essa tristeza também nas fotografias em que sou muito pequena. que hoje esta tristeza reconhecendo_a embora como a que sempre tive poderia quase dar_lhe o meu nome de tal modo se me assemelha. hoje digo_lhe que é um bem_estar esta tristeza. falo sem esperar resposta. digo_lhe que a minha mãe grita aquilo em que crê como os enviados de deus. grita que não se deve esperar nada nunca nem de pessoa alguma nem de estado nenhum nem de deus algum. eu digo que não faço da desgraça em que me encontro uma questão pessoal."





marguerite duras in o amante páginas 66 e 67



































sou quase perfeita por isso o de não gostar que me obriguem o não gostar que me digam o que devo dizer o que devo fazer. se não sei tocar piano nem cantar operetas que fazer? escrevo. se sei escrever? não. não sei. que ninguém me diga o que devo ou não escrever. que ninguém me diga quando ou não o fazer. que ninguém me omita o vómito de o ler.que ninguém me minta se o sente feio. cru. sujo. se o sei fazer? se sei. tudo o que me mói o juízo e se me atravessa na tripa estampo_o na cara daquele que não tem cara para mo dizer. as palavras soam_me bem e sabem_me melhor ainda por cada vez que as despejo na tinta. sou quase perfeita por isso pelo diz que não disse ou não era suposto ser dito porque muita coisa se diz sem se dizer e sem se querer dizer e dizer_se assim é como se desdizer diga_se o que se disser fica tudo por dizer e o diz que diz e não se diz talvez se diga de uma só vez. sou quase perfeita por isso mas não o posso dizer. nada mais me ocorre dizer a não ser dizer_te tristeza.

















_ digo?
_ não digas...
_ mas posso ou não dizer?
_ não. hoje não me digas porque só me ocorre responder_te tristeza.
_ diz...













fotografias de josi povic
e grzegorz sowa

9 comentários:

observatory disse...

silencio com paixao

















em silencio

oldmirror disse...

Dizer...


...apesar da tristeza


dizer

sempre

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

Sarava!

Dizer quando se quer dizer. Dizer depende da tristeza;)


Com saudades já.

Perdi mudanças por cá... Há música:) (e boa!)

E não há paixões por mim:S (no fim)

E beijos!!!!!

Moon_T disse...

Tristeza...

triste não se dizer as palavras que se querem,
ou até mesmo não ouvir as que se querem ditas.

Que não digam o que se deve ou não dizer.
Deverá apenas ser dito ao sentir, no entanto, nem sempre ao sentir o que quero dizer o direi.

Triste a mentira de quem diz o que não sente ou não sente o que diz.
Antes viver com a verdade dita, que com a mentira que dizem apenas por dizer.

Eu... não sou perfeito. Longe disso... mas posso dize-lo contigo. Pela verdade que se diz ao sentir e do que se sente ao dizer:

Tristeza.



Obrigado

diana disse...

Só o silêncio pode pronunciar melhor a tristeza, que nunca se consegue exprimir totalmente em palavras.


Esperemos que, com o tempo, os silêncios sejam com mais paixão e menos tristeza.

ivone disse...

observatory
"assim
pouco a pouco
escolhi
o presente silêncio
silêncio
momento
silêncio"


oldmirror
"olha a estrela de alba
chama da manhã
ó manhã o teu abraço
oxalá
me não apague
a paixão da minha alma
ó paixão
nem a manhã
apaga a luz que tem a chama do teu olhar
já é hora da chamada
alto cantei"

notas negras...em clave de sol




tu lias?
"dizer depende da tristeza" tristeza depende do dizer de como se diz de se decidir não dizer ou de dizer tristeza.

"amargura descansada e triste
parece lonjura ou medo?
é quase certo
que nada existe
nada está certo
nem eu estou triste"



moon_t
perfeita tristeza tristeza assim tão perfeita tristeza perfeita
"culpa que me segues sem eu querer
jura que me deixas decidir
aceitas ou não que nunca é tarde
aceitas ou não que voltarei
se calhar se calhar
amanhã há_de haver mais
mas eu não sei
se calhar devagar
vou voltar à mágoa que deixei"


diana
esta tristeza é paixão!
"sou assim
sou este mistério
maior que tudo
que acontece
no teu mundo

vontade
mistério
verdade
ajuda"

para vocês que por aqui me acompanham nestas paixões a partilha das letras de pedro ayres no espírito da paz em madredeus.

Vieira Calado disse...

Aqui está um blog bem original!

Cumprimentos

Luis Eme disse...

estive quase para não dizer nada...

não queria assustar o silêncio.

Baraújo disse...

não... não digas então... essas letras que bailam e pairam na boca prestes a explodir em forma de palavras... não... nas as guardes apenas para ti! solta-as como bolas de sabão... e deixa-as seguir o seu curso da vida...

mas diz-me nesse teu olhar...

beijo [E] terno

PS. as saudades apertavam por algum tempo nao vir aqui.