4.1.09

assim com medo de me partir




terror de te amar num sítio tao frágil como o mundo
mal de te amar neste lugar de imperfeiçao
onde tudo nos quebra e emudece
onde tudo nos mente e nos separa.


terror de te amar









deixai-me limpo
o ar dos quartos
e liso
o branco das paredes
deixai-me com as coisas
fundadas no silêncio
.


instante










dai-me um dia branco, um mar de beladona
um movimento
inteiro, unido, adormecido
como um só momento.
eu quero caminhar como quem dorme
entre países sem nome que flutuam.
imagens tão mudas
que ao olhá-las me pareça
que fechei os olhos.
um dia em que se possa não saber.


um dia branco

sophia de mello breyner









































a cada dia que passa quebram_se_me mais os ossos pela entrega à inércia em que me deixo estar. conseguirei eu um dia pegar o caminho que me leva aí? os pés
colam_se_me ao chão por cada vez que penso nisso.



há que mudar. mesmo ficando no mesmo sítio. por aqui. assim com medo de me partir.







fotografias de ewa brozozowska

15 comentários:

D. disse...

Que o melhor tempo que sua vida seja capaz de lembrar.
Estamnos nos transformando.
Hoje é o começo.

Fraterno abraço

D.

diana disse...

A inércia dói. E dói vermo-nos incapazes de seguir o nosso caminho.

Mas um dia conseguirás. Tens força suficiente para isso, tenho a certeza.

M. disse...

Nem consigo comentar de tanto "ME" ler. Depois recordo que temos sempre sangue e proezas,fendas e vidros partidos e acabamos na mesma por estar na estrada. seja conduzidos, seja por uma força vinda não se sabe de onde.

alexandrecastro disse...

Pela qualidade do seu blogue, decidi partilhar consigo o Pémio Dardos.
Passe pelo meu cantinho.
Um beijo
alexandre

hora tardia disse...

rendo-me!!!!





aqui.


sem medo!

vaandando disse...

Belíssimo blogue ...
Vim pelo »viver um conto» e fui bem conduzido !
BOM ANO !
Cordialmente
________ JRMARTO

Luis Eme disse...

espantas-me, positivamente, Ivone...

ivone disse...

d.
como dizia o sérgio godinho "hoje é o primeiro dia do resto das nossas vidas..."
há que transformar.sim. porque é preciso.

diana
não tenhas tanta certeza assim. há força. isso sim é uma certeza. quanto ao resto tenho as minhas dúvidas. logo se verá.

m.
os teus comentários espantam_me. porque me revejo neles também. tantas coincidências. melhor é impossível.

alexandre
passei pelo seu cantinho. fiquei surpreendida pela nomeação ao prémio dardos. desconhecia. senti_me como que uma nomeada assim tipo para os óscares da academia. já me atribuíram outros prémios neste mundo da blogolândia. claro que fiquei contente.nunca os coloquei aqui no meu espaço porque não ligo muito a isso. mas este é diferente. diz o alexandre que é um prémio e passo a citar:
"Com o Prémio Dardos reconhecem-se, os valores , que cada blogger emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais... os quais, em suma, demonstram a sua criatividade através do pensamento vivo, que está e permanece intacto entre as suas letras, entre os seus pensamentos e logicamente escritos."

muito bem. sendo assim consegue_me explicar o porquê desta mensagem antes de entrar no silêncio de paixão?:
"Aviso sobre conteúdos
Alguns dos leitores deste blogue contactaram o Google porque acham que o conteúdo do mesmo é reprovável."

por isto não sei se mereça o dardos.seja como for o meu bem haja pela partilha de letras e sentimentos.



hora tardia
eu tenho medo. há fases em que tenho medo do medo.


vaandando
o viver um conto é um sítio que frequentei assíduamente faz algum tempo. por qualquer razão afastei_me por outros caminhos que não esse. regressei agora porque tive necessidade de andar por lá outra vez. visitei também a sua casa. calma. simples. que transpira sensibilidade por tudo quanto é canto. irei voltar concerteza. bem haja!

luís eme
espantamentos...porque sim.

Carla disse...

...é tão forte o medo da mudança, mas há uma altura em que é inevitável
beijos e um bom ano

Dois Rios disse...

Mudar para crescer

ou crescer para mudar?

Tanto faz

Faz?

Eu quero caminhar como quem dorme
entre países sem nome que flutuam.


Beijo,

Inês

observatory disse...

nao apenas bonito


codificado


:)

Baraújo disse...

como me deixei fascinar uma vez mais pelas imagens tao bem escolhidas... mais um post só teu. sem duvida...

há pequenos sentires que se enrolam ao nosso ser numa espiral de emoçoes como borboletas, bolas de sabao... que nos beijam o corpo e esperamos que toque o fundo lá bem profundo que há em nós e poucos se interessam por conhecer!

beijo [E] terno

Su disse...

gostei de ler.t

.....o medo........sim..........


jocas maradas.sempre

nOgS disse...

Doem-me os dedos de palavras tão belas. como amo Sofia e como adoro o teu blog.

Psiu! Fazes muito bem em prosseguir;)

BeijO

S. disse...

Os ossos não quebram...amolecem em certas alturas da vida, naquelas em que a mudança mais assusta...noutras, é tempo de ir...ou até de ficar, mas mudando algo...

O beijo de sempre :)